Ribeirão Preto / SP - sexta-feira, 21 de julho de 2017

Doença diverticular dos cólons

A diverticulose (doença diverticular  dos cólons) é uma doença do homem moderno. Os principais fators de risco, além da idade (quanto mais idoso maior o risco do paciente ter divertículos colônicos) são alto consumo de carne vermelha, dieta pobre em fibras, sedentarismo e o excesso de peso (obesidade). Ou seja, maus hábitos de vida devem ser corrigidos para diminuir a incidência do problema e minimizar as complicações.

Temos visto na prática clínica um aumento significativo no número de pacientes jovens (abaixo dos 50 anos) com complicações da doença diverticular, principalmente a dor crônica no lado esquerdo e em baixo no abdomen, a diverticulite aguda e a crônica, a colite, entre outras complicações.

A grande maioria dos pacientes com divertículos colônicos são assintomáticas ou oligossintomáticas (ou seja, têm os divertículos mas não apresentam sintomas ou apenas sintomas leves, como alteração do ritmo intestinal e dor leve no abdomen).

Entretanto, cerca de 20-25% dos pacientes podem ter sintomas e complicações da doença - as formas mais graves, há necessidade de intervenção cirurgica.

Nos pacientes com sintomas (mas sem complicações) - ou seja, portadores da doença diverticular dos cólons sintimática não complicada, além das medidas clínicas (perder peso, comer melhor, praticar esportes) há benefícios, segundo estudos científicos, do uso da mesalazina e dos pró-bióticos (lactobacilus) na melhora dos sintomas e na prevenção de novas crises de diverticulite

Nos pacientes que já apresentam complicações da doença, tais como estenose do intestino (sigmóide) ou fístula do cólon para bexiga ou vagina, há indicação de cirurgia para retirada do segmento doente, e a melhor técnica é a retossigmoidectomia por laparoscopia.

Nos pacientes com diverticulite aguda comprovada (dor forte no lado esquerdo e em baixo no abdomen, as vezes febre, dificuldade para evacuar, andar, mal estar) há indicação de internação, as vezes coleta de exames de sangue, tomografia do abdomen, antibioticos endovenosos, dieta leve e sem resíduos, ou até mesmo jejum e hidratação endovenosa. E naqueles casos mais graves, cirurgia de urgência.

Abaixo, alguns exemplos de pacientes com divertículos.

Peça cirúrgica - divertículos no sigmóide

Enema opaco - doença diverticular difusa

Tomografia computadorizada - divertículos próximos a bexiga

Tomografia computadorizada - presença de ar na bexiga - fístula cólon vesical - diverticulite

Colonoscopia - setas - divertículos